Pesquisa Geral

OK

Acesso Rápido

Aceda diretamente à informação que lhe interessa.

 

Ressonância Magnética


É uma tecnologia médica de imagem que usa um campo magnético e ondas de rádio para obter imagens do corpo. É um método de imagem seguro, que não utiliza radiações ionizantes.


 

Comentários Iniciais
A Ressonância Magnética (RM) tem a capacidade de mostrar os órgãos e tecidos do corpo com grande detalhe, permitindo ao médico um diagnóstico mais preciso. Regra geral, a Ressonância Magnética é o melhor exame para estudar o cérebro, a coluna, as articulações e os tecidos moles dos membros e também tem interesse no estudo do coração, dos vasos e dos órgãos abdominais. O seu médico poderá indicar-lhe se a Ressonância Magnética é o exame mais indicado no seu caso.

 

Preparação
 

Como devo preparar-me para o exame?

É simples, basta estar sem comer 2 horas antes do exame. Após o exame pode fazer a sua vida normal.

Na sala de Ressonância Magnética existe um campo magnético que pode atrair objectos metálicos que as pessoas transportem consigo ou tenham dentro do próprio corpo.

Esse campo magnético também pode interferir com dispositivos electrónicos, como, por exemplo, pacemakers, fazendo com que estes dispositivos deixem de funcionar correctamente.

Deve vestir a farda que lhe vai ser fornecida e deixar TODO o seu vestuário e pertences pessoais nos locais que lhe serão indicados (que serão fechados à chave enquanto estiver a fazer o exame).

 

Não leve nada consigo quando entrar na sala - remova eventuais próteses de que seja portador (prótese auditiva, placa dentária, prótese dos membros, por exemplo), tire óculos, relógio, anéis, ganchos do cabelo e outros objectos pessoais.

No dia em que vier fazer o exame, ser-lhe-á entregue um questionário, que nos ajudará a detectar qualquer situação que possa interferir com a realização do exame. Antes de entrar para a sala, um profissional qualificado falará consigo, para assegurar que não é portador de nenhum dispositivo que o coloque em risco.

 

Durante Exame

Como é feito o exame?  

O exame é realizado com a pessoa deitada, com a parte do corpo que vai ser examinada dentro do túnel da máquina. Este túnel, aberto nas duas extremidades, é iluminado e ventilado permanentemente.

O técnico de radiologia dar-lhe-á almofadas, para que possa ficar confortável. Durante todo o exame, pode comunicar com o pessoal médico, através de intercomunicadores. Durante todo o tempo que estiver dentro da sala, o pessoal médico estará atento a si e em contacto consigo, podendo vê-lo através de uma janela de vidro.

Durante a aquisição de imagens, a máquina faz um ruído forte, semelhante a um martelar. Esse barulho é normal e faz parte do exame. Sempre que a máquina estiver a fazer barulho está a adquirir imagens – é muito importante que se mantenha imóvel, porque os movimentos do corpo prejudicam o exame. Se estiver a fazer exame à coluna cervical ou ao pescoço, tente não engolir.

Pode ser necessário injectar uma pequena quantidade de produto de contraste numa veia do braço, para esclarecer melhor algum achado nas imagens.

 

O que é que se sente durante o exame? 

O exame pode demorar cerca de 30 minutos e não causa nenhuma dor, embora para alguns doentes seja desconfortável estar imóvel o tempo todo do exame. Outros doentes sentem desconforto devido às pequenas dimensões do túnel – se for esse o seu caso, há algumas medidas que podem ser tomadas para o ajudar a descontrair durante o exame.

Se for necessário injectar contraste, pode sentir uma ligeira sensação de calor no braço, que dura um ou dois minutos.

 

Comentários Finais

Quais são os riscos do exame?

 

A Ressonância Magnética é um exame seguro; os únicos riscos conhecidos são aqueles que resultam de o campo magnético e as ondas de rádio interferirem com objectos metálicos ou electrónicos que o doente tenha na pele ou dentro do corpo, resultantes de cirurgia, ou fragmentos metálicos que acidentalmente se tenham alojado no corpo. Os objectos e dispositivos com os quais a Ressonância Magnética interfere são:

 

 

  • Pacemaker cardíaco: (‘pilha no coração’) o pacemaker (pronuncia-se ‘peisseméicar’) é um dispositivo electrónico que se destina a regularizar o ritmo cardíaco. Um doente com pacemaker não pode realizar o exame.
  • Desfibrilador cardíaco: dispositivo electrónico parecido com um pacemaker, que faz uma descarga eléctrica quando o coração fibrila (começa a bater desordenadamente). Um doente com desfibrilador cardíaco não pode realizar o exame.
  • Clips de aneurismas cranianos: um aneurisma é um pequeno saquinho numa artéria; quando um aneurisma rompe no interior do crânio, os cirurgiões usam uma espécie de pequenas molas para fechar o aneurisma (clip). Os clip mais antigos são atraídos pelo campo magnético e os doentes que têm este tipo de clip não podem fazer o exame.
  • Sistema de estimulação neural ou espinal: Eléctrodos implantados no cérebro ou na medula espinal e que, através de pequenas descargas eléctricas, visam tratar determinadas doenças (doença de Parkinson, por exemplo).
  • Implante coclear ou tubos metálicos nos ouvidos: São pequenos dispositivos implantados no interior dos ouvidos e que visam melhorar a capacidade auditiva dos doentes (não confundir, com próteses auditivas, que são dispositivos electrónicos externos, usados na orelha).
  • Válvula cardíaca: algumas válvulas colocadas no coração têm anéis metálicos que são atraídos pelo campo magnético.
  • Bomba de infusão de insulina: trata-se de um pequeno dispositivo electrónico que alguns diabéticos usam para administrar insulina de forma automática. Há outros dispositivos de infusão de medicamentos, que também podem conter partes metálicas ou circuitos electrónicos.
  • Derivação espinal ou ventricular: para tratamento dos doentes com hidrocefalia. Podem conter partes metálicas.
  • Porta de acesso vascular ou cateter: usadas, por exemplo, em doentes que fazem quimioterapia, servem para administração repetida de medicamentos. Podem conter partes metálicas.
  • Eléctrodos, filtros, outros implantes metálicos internos: usados em várias situações, por exemplo, para tratar estenoses (apertos) nas artérias ou noutros vasos. Estes dispositivos podem ser introduzidos através da pele, numa sala de angiografia.
  • Fragmento metálico nos olhos ou no corpo: os fragmentos metálicos podem deslocar-se e resultar em lesão; os fragmentos metálicos que exigem mais cuidado são os situados nas órbitas ou nos olhos.

 

 

Agrafes cirúrgicos, clips ou suturas metálicas; placas, parafusos, varetas ou fios nos ossos; próteses da anca ou joelho: Na maioria dos casos, não há risco se a cirurgia tiver sido feita há mais de 4 semanas.

 

 

  • Prótese dos membros, placa dentária, prótese auditiva: remover, por favor.
  • Tatuagem: alguns dos produtos usados para fazer tatuagens contêm metais e podem irritar a pele durante o exame. O mesmo é verdade para alguns produtos de maquilhagem; se usar, deve desmaquilhar-se antes do exame. Alguns pensos medicamentosos (que se colam na pele) podem dar a mesma reacção e devem ser retirados antes do exame, se tiver algum colocado.
  • Piercing: as jóias usadas para fazer piercing podem ser feitas de metal que é atraído pelo campo magnético; pode ser necessário retirar a jóia.

 

 

Gravidez e Ressonância Magnética

 

Não se conhece nenhum risco para o feto; mas, por uma questão de precaução, é necessário ponderar bem a necessidade do exame no primeiro trimestre de gravidez.

Outras unidades hospitalares do grupo HPP

Conheça os nossos hospitais.

Siga-nos no Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no LinkedIn Siga-nos no Youtube